HEDONISMO : A MORAL DO PRAZER


O hedonismo é a doutrina moral que consiste em identificar a virtude com o prazer e em afirmar que não há outro bem - bem absoluto - senão o prazer, e outro mal senão a dor.
O lema deste sistema moral é: voluptas expetenda et fugienda dolor, deve-se procurar o prazer e fugir da dor.
Aristipo de Cirene (380 a.C.), amigo e discípulo de Sócrates, foi hedonista, para quem o único bem do homem é o prazer atual e presente, o prazer mais forte e imediato, sendo indiferente qualquer que seja o seu objeto. O prazer do momento é o único certo, o único bem, e por isso deve-se aproveitá-lo, pois a esperança de um bem futuro está sempre unida à inquietação devida à incerteza do destino, razão por que não é um verdadeiro bem.
Em todos os tempos encontrou o hedonismo seguidores. Nos tempos modernos, salientam-seHelvetius, d'Holbach, Fourier.
Deve-se dizer, no entanto, que o hedonismo, antes de tudo, mutila a natureza humana, pois o homem não é um simples composto de sentidos e órgãos: possui faculdades superiores, cujas aspirações reclamam satisfação. Além disso, o bem não pode consistir no prazer, pois, se assim fosse, todos os homens seriam virtuosíssimos porque quanto mais prazer gozassem mais bem praticariam. Ora, a experiência nos testemunha coisa bem diferente.