ILUMINAÇÃO - MONJA COEN SENSEI



Era uma vez um ente que procurava pelo ser. Parecia estar aqui e acolá. Vagava pelos pensamentos e idéias, corria atrás de conceitos e de práticas difíceis.
     Percorreu vales e montanhas, atravessou rios e oceanos, subiu em árvores e desceu em poços e escavações.
      Procurava, sem sucesso. Começou a duvidar. Haveria realmente esse tal de iluminar?
      Luz do sol e luz da lua. Refletindo nas folhas, nas águas, na poça pequena, na gota de orvalho, na lágrima. Refletindo.
      Reflete o que é. Fotografia. Grafia da foto, imagem. Desenho. A lua refletida numa gota de orvalho. A gota de orvalho se torna a lua e a lua se torna uma gota de orvalho, mas a gota de orvalho não é a lua.
Iluminar. Ter luz própria. Os planetas não têm luz própria. Será? Existem planetas separados das estrelas que os aquecem? Luz e sombra são um par como o pé da frente e o de trás ao andar.
      "Cada coisa tem seu valor e está relacionada ao todo em função e posição./ Vida comum se encaixa no absoluto como uma caixa a sua tampa./ 0 absoluto trabalha com o relativo como duas flechas se encontrando em pleno ar." [poema chinês do século VIII]
      Mestre e discípulo. O encontro e a procura. O ente e o ser. Um só corpo, uma só mente.
      Na procura já está o encontro.
      A fé. Fé de confiar, de se entregar. Fé de acreditar que é pos­sível. Que eu posso. Que nós podemos. Que já somos. Que, porque éramos no futuro, agora nos manifestamos no presente que passa ao passado. Passado que passou do presente vindo do futuro. O futuro aguarda, com tantas possibilidades. Manifestadas neste instante.
      Iluminação. Não é o ente pequeno e carente, viciante e viciado. É o ser todo puro, íntegro, perfeito.
      O ente descobre o ser. Encontra-o em casa. Sempre em casa. Tranquilo e risonho, Vivendo o contentamento de ser.
      Iluminação. É apenas uma técnica? O que, mais permite duas flechas, ponta com ponta, se encontrarem em pleno ar? Pratica constante que transcende a prática. Como quem aprende a tocar música. Toca e toca tanto que um dia se surpreende que a música que toca é música. Quem é o instrumento? Sujeito e objeto. Já não há separação. Ondas alfa. Cérebro em foco absoluto como uma lente grande-angular.
      Iluminação. Humildade de servir, de acolher, de compartilhar a vida na grande irmandade da espécie humana no planeta Terra, nossa casa comum.
      Iluminação. Fazer o bem a todos os seres, todas as formas de vida. Sem apego e sem aversão. Iluminação. Reconhecer e se libertar. Sem amarras, sem prisões, na doçura do inter-ser.
      Iluminação. Interligados nos religamos ao que nunca, jamais, nos separamos. Mas se não houver procura, reflexão, prá­tica, compreensão, a iluminação foge ligeira, mais rápida que a rapidez.
      Iluminação. Como a de Buda: sentir-se ligado a tudo que existe. Sem drogas, sem nada, na brisa. Todas as formas de vida são nossa vida. Somos o corpo uno.
      Iluminação. Sem aversão, sem ódio, sem rejeição, sem violar o direito ávida. Sem fugir, sem se esconder, sem matar e sem morrer.
     Iluminação. O caminho da não-violência ativa. Transformar sim, organizar sim, mas usar as forças superiores da compaixão e da compreensão. Sem cultivar rancores nem horrores.
      Iluminação. Por favor, ilumine todos meus irmãos e irmãs. Ilumine o meu, o seu, o nosso único coração.