BRAHMA , VISHNU , SHIVA : O TRIMURTI HINDU

Trimúrti (em sânscrito: Trimurti, lit. "três formas") é a parte manifesta tripla da divindade suprema, além das representações do Brâman, fazendo-se tripla no intuito de liderar os diferentes estados do universo. A trimúrti é composta pelos três principais deuses do hinduismo: Brama, Vixnu e Shiva, que simbolizam respectivamente a criação, a conservação e a destruição.
O conceito de trimúrti desenvolveu-se na época do chamado período purânico. Embora Vixnu e Shiva atraiam fortes cultos e adorações, respectivamente o vixnuísmo e o shivaísmo Brama tende a arrastar-se para um plano absoluto, como um Deus criador. Freqüentemente, a trimúrti é retratada como uma figura de três cabeças, devido a uma encarnação dela em Dattatreya.
Shiva é passível de ser visto de duas formas a primeira é como seus seguidores o veem, sendo ele o próprio Trimurti, assim Ele é responsável pela criação, conservação e destruição, encarando Brama como o Adhimurti ou forma primordial, Vixnu como o Dvamurti ou forma presencial e Xiva como o Trimurti, sendo que a divindade alcança o "status" de trimúrti somente quando alcança Xiva, logo Ele é o único verdadeiramente Trimurti. A segunda forma é delineada de maneira mais geral para que seja cabível em todo o complexo hindu, nesse caso Shiva se aprensenta como terceira pessoa o destruidor ou renovador. E claro que não há renovação sem criação nesse caso as três pessoas estão sempre manifestadas juntamente.
Diferença para a trindade cristã
Brâman, o Absoluto, é incognoscível pelo homem. Como um ser limitado, o ser humano somente percebe três aspectos de Brahman, que são: Brama, o Criador, Vixnu, o Preservador e Shiva, o Destruidor.
O conceito da trimúrti difere, como se vê, do conceito da Santíssima Trindade cristã e, na forma representativa mais análoga à doutrina da Santíssima Trindade remonta ao século VI por influxo de monges nestorianos que se radicaram na Índia no início desse século.
Trimúrti Hindu


       
        A Trimúrti é formada por: Brahma (criação), Vishnu (conservação) e Shiva (destruição), que representam as três forças essenciais do Universo. Partilham do ideal de que tudo que é criado e/ou nascido deve evoluir, manter-se e, de uma forma ou de outra, acabar-se, destruir-se. Isso com tudo: pessoas, animais, objetos, mundo, universo, etc... Sem visões negativas e/ou positivas; todas são necessárias e essenciais.

Brahma

        Brahma, ao contrário de outros deuses criadores, não possui tantos seguidores no hinduísmo quanto seus companheiros de Trimurti, pois os hindus acreditam que seu papel está, em boa parte, cumprido com a criação do universo e tudo que nele existe. É geralmente representado com quatro cabeças (uma para cada direção) e com quatro braços, onde apresenta uma flor de lótus (símbolo de pureza), os Vedas (Escrituras), um bule com Amrita (símbolo de potência vital) e com a última mão faz um mudra (símbolo do destemor).

Vishnu

        Vishnu, figura conservadora, é mais famoso que Brahma, pois este nasce de uma flor de lótus de seu umbigo (!). Responsável pela manutenção de tudo que Brahma criou, ele é reconhecido por suas vindas ao mundo terreno, onde se apresenta em forma de avatares, que serão 10 e já se conhece 9 (entre eles: Budha e Krishna). Achou que o nome do filme e os carinhas serem azuis era mó criatividade? Pois é... É frequentemente representado sobre um deus-serpente também com 4 braços, que seguram uma concha (união dos sons da criação), um disco de energia (roda do tempo e o que é certo), uma lótus (pureza e perseverança) e um cajado (ataque aos desejos que são fonte de insegurança).

Shiva

        Shiva pode ser chamado de "Destroyer" ou de "Transformer" porque no Hinduísmo a destruição também é símbolo de renovação, transformação. Somente aquilo que é destruído pode ser reconstruído e/ou renascido. Criador da Yôga, arte que visa a transformação, equilíbrio e renovação do ser, é também  Senhor absoluto da Morte. A representação de Shiva é muito vasta, tendo várias vertentes simbológicas. Algumas delas: o tridente, chamado "trishula" representa a inércia, o movimento e o equilíbrio (cada dente é uma); a serpente em volta do pescoço representa o domínio sobre a Morte; o jorro d'água é a nascente do Ganges, rio sagrado na Índia.