KINTSUGI - A ANTIGA ARTE JAPONESA DE ABRAÇAR A IMPERFEIÇÃO

 

Kintsugi

Kintsugi: Esta arte centenária não se resume apenas a estética. Para os japoneses, ela faz parte de uma filosofia mais ampla de abraçar a beleza das falhas humanas.

Kintsugi: a antiga arte japonesa de abraçar a imperfeição



Significando “emenda de ouro”, Kintsugi (金継ぎ) é a arte japonesa de juntar peças de cerâmica quebradas com pó de ouro (ou outros metais como prata e platina) – baseado na ideia de que, ao abraçar as falhas e imperfeições, você pode criar uma peça de arte ainda mais forte e bonita.

Cada quebra é única e, em vez de consertar um item como se fosse novo, a técnica de 400 anos realmente destaca as “cicatrizes” como parte do design. Trata-se de uma metáfora que nos ensina uma lição importante e muito útil nas adversidades da vida: às vezes, no processo de consertar coisas que se quebraram, na verdade podemos criar algo mais único, bonito e resistente.

photo-ac.com

Decorar cerâmicas quebradas com laca e ouro em pó é uma tradição japonesa que remonta mais de 500 anos. E como podemos notar, esta é uma forma de destacar as imperfeições em vez de ocultá-las, fazendo nos lembrar da beleza e fragilidade da nossa natureza humana.

photo-ac.com

Ao contrário do que se imagina, demora cerca de três meses para restaurar as peças quebradas com ouro. Os fragmentos são cuidadosamente colados usando a seiva de uma árvore nativa do Japão. Depois de secar por algumas semanas, as rachaduras são cobertas com ouro.

photo-ac.com

Wabi sabi: admire a imperfeição

Como vimos, Kintsugi é uma tradição do século 15 que incentiva as pessoas a abraçar o antigo e o frágil, nos lembrando de ser positivos quando as coisas dão errado e de aproveitar as pequenas vitórias na vida. Tornou-se uma extensão de uma filosofia japonesa chamada wabi sabi.

Wabi sabi é sobre celebrar as imperfeições e viver com simplicidade. Literalmente, em japonês, wabi significa “quietude” e sabi “simplicidade” e expressam-se através do desejo implícito que os japoneses e sua cultura como um todo possuem por simplicidade e sutileza.

Juntos, eles nos ensinam como abraçar as partes boas e más de nós mesmos e a assimetria da vida. Dra. Rachel O’Neill, LPCC, terapeuta da Talkspace, diz: “Essa mudança de mentalidade nos faz abraçar nossas imperfeições e celebrar nossos pontos fortes.”

photo-ac.com

Kintsugi é a arte japonesa de juntar peças de cerâmica quebradas de volta com ouro – uma metáfora para abraçar suas falhas e imperfeições.

fin-bigbox.com

Kintsugi nos lembra que algo pode quebrar e ainda assim ser bonito, e que, uma vez consertado, fica mais forte nos lugares quebrados. Esta é uma metáfora incrível para cura e recuperação de adversidades que enfrentamos ao longo de nossas vidas. Afinal, todos nós passamos por momentos difíceis e levar uma vida de perfeição não é necessariamente algo realista.

Vivemos em uma era onde produção em massa, descarte rápido e sustentabilidade humana tem sido parte da nossa realidade. E a oportunidade de aprendermos sobre a importância de aceitar o antigo e abraçar as imperfeições e falhas só tem a acrescentar em nossas vidas.

Fonte: bbc.com

Comentários