ESTAS SÃO AS MAIORES AMEAÇAS À HUMANIDADE,SEGUNDO STEPHEN HAWKING

Estas são as maiores ameaças à humanidade, segundo Stephen Hawking


 04 JUL 2016 — 08H46
Não faz assim tanto tempo, o físico — e genial — Stephen Hawking revelou qual era a sua opinião a respeito do futuro da humanidade e disse que acreditava que a tecnologia e a Ciência seriam as responsáveis pela nossa destruição.
Pois, segundo Savannah Cox, do portal All That Is Interesting, Hawking voltou a falar sobre o tema recentemente e, desta vez, ele citou o aumento da população mundial e o aquecimento global como agravantes para o nosso fim.

Fim dos tempos

De acordo com Hawking, não restam dúvidas de que o excesso de pessoas no mundo exerce influência no estado em que a natureza se encontra no momento, e as coisas só vêm piorando nos últimos anos. Segundo ele, só nos últimos 5 anos, a poluição do ar teve um aumento de 8% e, se a população mundial continuar crescendo no mesmo ritmo, no ano 2100, seremos 11 bilhões de pessoas no mundo.
Publicidade
O futuro pertencerá às máquinas?
Hawking não está seguro de que vamos conseguir evitar que a Terra alcance níveis perigosos de aquecimento, afinal, conforme disse, na última década, nós, humanos, “não nos tornamos menos ambiciosos nem menos estúpidos” com relação à forma como tratamos o meio ambiente.
Entretanto, Hawking também incluiu outra ameaça à lista de perigos: a corrida dos governos para desenvolver armas baseadas na inteligência artificial. Segundo o físico, em vez de estarem focados em tecnologias que sejam benéficas para a humanidade, os governantes parecem estar mais interessados em criar aviões e armamentos inteligentes.
Hawking também revelou estar preocupado com o futuro da inteligência artificial — e a nossa capacidade de controlá-la. Conforme explicou, ele não acredita que os avanços nessa área da tecnologia serão necessariamente vantajosos, já que, uma vez que as máquinas atinjam o crítico estágio no qual elas poderão evoluir sozinhas, será impossível prever se seus objetivos serão os mesmos que os nossos. Tenso...